segunda-feira, 9 de setembro de 2013

OCHRE

Cor da argila.
Do barro. Do fundo do rio. Barcos me perseguem e eu os retrato. Arquitetura flutuante de quintal grande. Por que navegar preciso é, na web ou no mar.

Aos que não puderem ir, coloco aqui um pouco do que está lá. Telas e aquarelas.



sexta-feira, 28 de junho de 2013

Pequenas RevoluAÇÕES

video
Pequenas revoluções acontecem de dentro pra fora e se tornam grandes quando compartilhadas.

Em 1848, um jovem abolicionista norte-americano, Henry Thoreau, insatisfeito com os gastos do governo para financiar guerras absurdas, deixa de pagar impostos e vai preso. Escreve um livro chamado “Desobediência Civil”, mostra que não precisamos lançar um Coquetel Molotov para dizer o poder que temos nas mãos. Em seguida, resolve ir para floresta e buscar a essência da vida, perceber seu lugar no mundo.  Ao voltar, dois anos depois, escreveu outro livro chamado “Walden”, nome do lago onde, nas suas margens, construiu sua cabana.

Tempos depois, Mahatama Gandhi, quando estava  preso na África do Sul, lê “Desobediência Civil” e confessa o quanto as idéias contidas naquele livro formaram a base das suas ações para tornar a Índia uma nação independente.

Em 1955, Martin Luther King passa a ser o encrenqueiro da vez quando luta por direitos civis iguais para os negros norte-americanos pregando a não violência e o amor, no mesmo ano  liderou o boicote aos ônibus de Montgomery e alterou o rumo da história. Foi assassinado momentos antes de ir para mais uma marcha ativista, entre seus pertences estava o livro “Desobediência Civil”.

Em 1971, um grupo de ativistas pega um velho barco para protestar contra testes nucleares americanos no Alasca, criaram o GreenPeace, a partir daí as reflexões sobre como devemos cuidar melhor do nosso planeta passaram a fazer parte dos debates escolares e universidades.

Hoje no Brasil pessoas saem às ruas pedindo atitudes dos políticos que, voluntariamente, se candidataram para nos representar. A copa vai acabar, mas temos águas mais profundas para mergulhar e perceber qual a boa batalha deve ser digna de luta.


Como diria o outro ativista Bono Vox, “não queremos o seu dinheiro,  queremos a sua voz”.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

WORKSHOP DE AQUARELA

Será no sábado, 15 de junho (sábado), de 8:30 hs. às 18:30 hs. (com intervalo para o almoço) o Workshop de aquarela que irei ministrar no nosso ateliê.
Para participar, não precisa saber desenhar e tão pouco ser um iniciado em aquarela.

Cada participante ganhará todo material necessário para realizar o workshop - pincéis para aquarela, lápis aquarelável, estojo de aquarela 12 cores da KOH-I-NOOR  e um exclusivo sketch book com os principais papéis de aquarela existentes no mercado brasileiro tais como Arches 300g. e Montval 300g. (importados) Canson 300g. e 224g. 

Será um dia bem diferente, com momentos em atelie e trabalhos externos no Parque do Museu Goeldi.

Investimento: 
R$ 280,00 (á vista)
R$ 155,00 (2 vezes)

7 VAGAS.

Informações pelo telefone (91) 8333-5533 ou pelo e-mail: mariobarat@hotmail.com

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Doce Bárbara

A revista paulista Diversos Afins, na sua edição 79, que mostra entrevista com o poeta Heitor Brasileiro Filho e fala sobre disco de Clarisse Falcão (Porta dos fundos), publicou uma matéria muito boa (sou suspeito em falar, mas já falei) com Bárbara Damas. Além do texto de Carla Diacov, que é pura poesia, os desenhos de Bárbara ilustram quase toda a revista. Vale a pena conferir.

Para ir direto a matéria com Bárbara CLIQUE AQUI.
Para ler Diversos Afins CLIQUE AQUI.

 Para ver mais: CLIQUE AQUI

terça-feira, 14 de maio de 2013

Exposição VISÕES/Belém



Dando continuidade ao projeto de divulgação e preservação da Arte Rupestre na Amazônia - Monte Alegre, a equipe do projeto convida para abertura em Belém da Exposição Visões - a arte rupestre de Monte Alegre que ocorrerá no prédio da Rocinha no parque do Museu Goeldi, a partir das 19:00 h. entrada pela Magalhães Barata.

A equipe montou uma exposição bem didática sobre a arte rupestre na Amazônia, em especial Monte Alegre, além dos painéis explicativos,  a minha parte coube realizar 15 aquarelas durante uma semana na Serra da Lua, em Monte Alegre e ilustrar um livro infantil. Haverá também réplicas de rochas com gravuras para serem tocadas por deficientes visuais, legendas em braile, e uma experiência nova para mim - uma interferência em reproduções de algumas aquarelas para que os deficientes visuais possam sentir a forma das pinturas rupestres na obra.

Espero você lá para compartilhar mais um jeito de "ver" o mundo.

Mario B.

A exposição faz parte do circuito nacional da semana de Museus.


Para conhecer o projeto clique AQUI